Tags

, ,

DEVEMOS ORAR O ROSÁRIO?

Alguns protestantes alegam que não devemos orar o terço baseados em Mateus 6,7:

“E, orando, não useis de vãs repetições, como os gentios; porque presumem que pelo seu muito falar serão ouvidos.”

Na verdade, a Bíblia deve ser lida como um todo e não tomarmos pequenos trechos que nos levam a interpretações erradas! A Bíblia não fala nem que Maria, Paulo, etc. morreram e por isso devemos acreditar que encontraremos senhoras e senhores com mais de 2000 anos pela rua?

Em Marcos 14,39 temos:

“JESUS afastou-se e orou, DIZENDO AS MESMAS PALAVRAS.”

Quanto às repetições de palavras, elas realmente são vãs quando são ditas da boca pra fora, sem meditação. Assim faziam os fariseus, quando oravam, pois faziam grandes ofertas (em público) e orações nas esquinas, para demonstrarem que eram “grandes fiéis”, além de não praticarem o que diziam. Ficavam repetindo exaustivamente e rapidamente frases curtas e hipócritas como “Senhor, misericórdia!” por dezenas de vezes, mas sem nada no coração. Às vezes chegavam a fazê-lo gritando e de olhos fechados, no meio da rua.

Só para dar um exemplo, no primeiro Mistério Gozoso meditamos a visita do anjo à Maria. Foi através do “sim” de Maria a Deus, que Jesus veio até nós. Neste mistério meditamos se, a exemplo de Maria, também dizemos sim a Deus. Quantas vezes, queremos fazer a nossa vontade, mesmo sabendo que Deus requer outra coisa de nós? A meditação deste mistério nos ajuda a pensar, a refletir e a identificar tais situações.

Pode até haver outras formas de refletirmos sobre isto, mas o terço em si é uma fonte muito eficiente de crescermos espiritualmente e como pessoa. Além deste mistério gozoso, ainda ha mais 19 mistérios (passagens da vida de Jesus) que podemos meditar. Isto é muito rico!

O Evangelho de Mateus foi escrito direcionado para os judeus convertidos ao cristianismo, por isso a crítica aos fariseus, mas logo a seguir, Cristo ensina a oração do Pai Nosso, que absolutamente não é nenhuma oração vã e que é parte constitutiva do Terço.

Por outro lado sabemos que a Igreja Católica está fundamentada em três pilares, Sagrada Escritura Tradição e Sucessão Apostólica, ao contrário do Protestante que crê apenas na Sagrada Escritura; nós Católicos cremos e devemos reta obediência a Sagrada Escritura, a Tradição do Santo Magistério (toda literatura patrística, incluindo os documentos da Igreja resultante de seus concílios, etc.) e da Sucessão Apostólica (os apóstolos ao morrerem deixavam indicados homens com larga experiência pastoral para os substituírem, constituindo hoje os nossos Papas).

Essa Tradição é guardada como tesouro dos Católicos e inicia-se nos Atos dos Apóstolos, passando pelas cartas de Pedro, João, Paulo, Thiago, Filemom e assim sucessivamente, passando ainda pelos escritos dos Santos Padres e Doutores da Igreja , Santo Inácio, Efrem, Agostinho, o Santo Angélico Tomas de Aquino e muitos outros.

Dessa forma não podemos de descuidar da devoção do Terço por ser aprovada pela Tradição, que como Católicos devemos obedecer. Por essas razões e muitas outras é estimulada oração do terço pelo Magistério da Nossa Igreja e produtor de frutos de santidade e engrandecimento espiritual.

Além do mais, o que dizer do Pai Nosso, que é uma oração “repetitiva” que foi ensinada pelo próprio Jesus Cristo, então?

De onde veio o rosário?

A igreja Católica guardou o costume judeu de meditar a palavra, os letrados podiam fazer isso facilmente, e oravam os 150 salmos, fazendo reflexões com o novo testamento e a vida de Cristo.

Em um momento isso passou a ser um problema, poucas pessoas sabiam ler, e muitas dessas por não ter uma vida contemplativa só podiam fazer a oração dos Salmos nos finais de semana.

Então surgiu a brilhante idéia de pegar a vida de Cristo, seus atos mais marcantes e montar de uma forma onde até uma pessoa ignorante (entenda não sabe ler) poderia participar, e não tomaria tanto tempo por dia (média de 1 hora).

Escolheram as seguintes passagens:

– Anuncio do Anjo Gabriel a Maria. (saber dizer o sim)
– Visita de Maria a Isabel. (ser pronto a atender o próximo)
– Nascimento de Jesus. (humildade e encarnação do Verbo)
– Apresentação de Jesus ao templo. (obediência à lei)
– Jesus perdido no templo e encontrado entre os doutores. (fazer a vontade do Pai)

– Agonia de Jesus. (aceitar a vontade em todos os momentos)
– Flagelo. (suportar a dor pelo Pai)
– Coroação de Espinhos. (não se entregar ao mundo, mesmo humilhado)
– Carregando a Cruz. (saber buscar em Deus a força para superar os problemas)
– Morte de Cristo. (O maior pecado da humanidade, e a redenção pelo amor perfeito de Deus por nós)

– Ressurreição. (a vitória de Cristo sobre a morte, abrindo as portas do céu)
– Ascensão ao céu. (Cristo se eleva ao céu e nos da suas ultimas palavras)
– A vinda do Espírito Santo. (Deus envia o ES para nos conduzir agora que Cristo partiu)
– Assunção de Nossa Senhora. (Nossa Senhora é levada aos céus pelos anjos de Deus)
– Coroação de Maria. (Nossa Senhora é coroada mãe da humanidade e mãe de Deus)

Depois disso, muito recentemente Deus colocou no coração de João Paulo II, a necessidade de maior contemplação, então foram incluídos mais 5 mistérios:

– Batismo de Cristo no Jordão. (Cristo pleno de Deus, se faz exemplo sendo batizado por João)
– Bodas de Cana. (A pedido de Maria, Cristo realiza seu primeiro milagre)
– Reino de Deus. (Cristo por meio de suas parábolas, apresenta o Reino de Deus)
– Transfiguração. (Cristo se apresenta a Pedro, Thiago e João em sua forma transfigurada, dando sinal da ressurreição)
– Ultima Ceia. (Cristo institui a Santa Eucaristia dizendo: este É o meu corpo e este É o meu sangue, e partilha com seus irmãos pedindo que repitam esse ato sempre)

Quanto às repetições, seja da Ave Maria, Pai Nosso, Glória ou das Ejaculatórias o mesmo santo homem, papa João Paulo II diz (com outras palavras): “as repetições do terço devem ser vistas como as falas de um casal enamorado, que por mais que repita sempre que ama o outro, sempre com as mesmas palavras, nunca se repete, sempre é colocado um sentido próprio naquelas palavras que são ditas com amor.”

Só para resumir, só faz vãs repetições quem quer, da mesma forma que era no judaísmo, nem todos que oravam eram vãos apenas o que repetiam sem intenção no coração. E essa questão é totalmente pessoal, eu posso ser mais vão instigando o povo a fazer uma oração pessoal, e falando apenas da boca para fora conduzindo o povo (como alguns pastores protestantes fazem) do que rezando o terço.

E posso sim ser vão rezando o terço, o que define se uma oração é ou não vã, é o que temos no coração.

(Conclusões retiradas de tópico aberto na comunidade Orkut – Católicos)

Anúncios