Tags

,

UBERIZAÇÃO

A discussão não deve ser se o Uber é ou não ilegal. Claro que é, sejamos honestos! O máximo que se pode avançar é através de alguma brecha na lei…

O ponto que deveríamos estar discutindo é a intervenção excessiva do Estado na vida do cidadão e da Economia!

Quem oferece melhor serviço, o Uber ou os serviços de taxi?

Por que não deixar que sobreviva quem oferecer melhores serviços?

Não me venham com essa história que o taxista paga impostos, blá, blá, blá, pois eles têm isenção (ou desconto, não sei ao certo) de impostos na compra de um carro que o cidadão comum (nem o motorista do Uber), tem!

Serviços como o do Uber movem a economia, pois profissionais de diversas áreas podem ocupar seu tempo livre prestando esse tipo de serviço, que diga-se de passagem é muito superior ao oficial que temos.

Mas os interesses em jogo são outros: sindicatos, Governo, etc. deixariam de exercer o poder que exercem hoje e as “vantagens” que advém dele.

Consultando um taxista descobri que em minha cidade para se “comprar” uma placa de taxi não se gasta menos de R$ 100 mil! Não valeria a pena usar esse dinheiro para comprar um carro e fazer parte do Uber? Investir em qualidade do serviço que é ofercido hoje? Faça uma pesquisa sobre quanto custa “ser um Uber”, é de conhecimento público que há os taxistas que alugam sua licença para terceiros, agridem passageiros e motoristas e essa classe tem coragem de falar em ilegalidade do Uber?

Sou favorável à Uberização da maioria das profissões. É preciso pensar além…

Anúncios